Rentabilidade e lucratividade: principais diferenças

Descubra as principais diferenças entre rentabilidade e lucratividade e tome as melhores decisões para a empresa.
rentabilidade-e-lucratividade-principais-diferencas

Existem algumas diferenças importantes entre rentabilidade e lucratividade. Enquanto a rentabilidade se refere à capacidade que a operação tem de gerar retorno sobre os investimentos, a lucratividade compara o lucro final com as receitas ou vendas.

Ambos indicadores usam o lucro líquido para serem calculados, no entanto, analisam diferentes aspectos financeiros.

A seguir, separamos tudo que você precisa saber sobre lucratividade e rentabilidade, incluindo exemplos e fórmulas. Confira!

➡️ Conheça a Imersão Executiva da ImLog e descubra as práticas, tendências e tecnologias da NOVA logística ⬅️

Diferença entre lucratividade e rentabilidade

A lucratividade é o valor percentual que indica quanto uma empresa ganha com a venda de produtos e serviços. Portanto, compara o lucro final com o faturamento. A rentabilidade, por sua vez, é o percentual que indica se o negócio gera rendimento, ou seja, analisa o retorno dos investimentos feitos.

Apesar de indicar pontos distintos sobre o desempenho financeiro, tanto a lucratividade quanto a rentabilidade utilizam como base o lucro líquido, isto é, o resultado financeiro após subtrair todas as despesas e impostos.

Enquanto a rentabilidade depende da capacidade que a operação tem de gerar retorno, a lucratividade depende de uma série de fatores, incluindo custos, precificação e da própria concorrência, afinal tudo isso impacta no salto final.  

Apesar da relação entre lucro e rentabilidade, uma empresa pode gerar lucro e ter baixa rentabilidade, assim como o contrário. Isso pode acontecer devido a altos custos operacionais, má gestão do orçamento, ineficiência e até mesmo por conta de estratégias de expansão e crescimento.

Lucratividade

  • Compara o lucro final com o faturamento;
  • Depende de custos, concorrências e precificação.

Rentabilidade

  • Compara o lucro final com investimentos feitos;
  • Depende do retorno dos investimentos.

O que é lucratividade?

A lucratividade é um indicador financeiro que ilustra quanto foi ganho por uma empresa, e quanto desse montante foi capaz de cobrir todos os custos e ainda sobrar. Essa sobra é conhecida como margem de lucro. 

A lucratividade é importante porque deixa claro que no processo de vendas de um produto, o valor total não vai diretamente para o negócio, inclui mão de obra, infraestrutura, taxas, impostos, enfim, tudo que torna sua confecção e venda possível. 

Ficar de olho nesse indicador é essencial para impulsionar os resultados, já que é possível propor melhorias constantes para reduzir gastos e otimizar os processos logísticos, impactando diretamente em estratégias para aumentar lucro

O que é rentabilidade?

A rentabilidade analisa um investimento e quanto ele teve de retorno para a empresa, incluindo produtos, serviços ou ativos. Com esse indicador, é possível calcular qualquer tipo de retorno financeiro, medindo desde a rentabilidade de uma transportadora até uma carteira de investimentos.  

Leia também: rentabilidade industrial – 7 dicas para tornar sua fábrica rentável

O que é margem de lucro?

A margem bruta e a margem líquida também são KPIs financeiros e, basicamente, demonstram a porcentagem de rentabilidade e lucratividade em uma companhia, respectivamente.

Lucro bruto

O Lucro bruto é um indicador que mostra a rentabilidade das vendas, desconsiderando os custos operacionais e administrativos. Ele ajuda a identificar se a companhia está vendendo seus produtos ou serviços com uma margem de lucro satisfatória antes de considerar outros custos. O lucro bruto é calculado subtraindo os custos diretos da receita total, ou seja, é a diferença entre as vendas ou receitas e o custo do que é vendido.

Lucro líquido

O lucro líquido representa o lucro real obtido pela empresa após a dedução de todos os custos, despesas e obrigações financeiras, como taxas. É o resultado final, o que efetivamente entra no caixa da empresa. Esse é um indicador mais abrangente, que leva em consideração todos os custos e despesas. Ele reflete o montante disponível para reinvestimento, distribuição de lucros aos acionistas ou acumulação de reservas.

Enquanto o lucro bruto foca na rentabilidade das vendas, o lucro líquido oferece uma visão mais completa e realista da performance financeira. Ambos são fundamentais para uma análise eficaz.

Como calcular lucratividade e rentabilidade?

Lucratividade

Para calcular a lucratividade, divida o lucro líquido pela receita bruta das vendas, multiplicando por 100. 

Lucratividade = (lucro líquido/receita bruta) x 100

Rentabilidade

Para calcular a rentabilidade de um investimento, divida o lucro líquido pelos investimentos realizados, multiplicando por 100.

Rentabilidade = (lucro líquido/investimento) x 100

Importância de saber sobre lucratividade e rentabilidade

Como visto anteriormente, é possível ter lucro sem ser rentável e vice-versa, e caso não haja conhecimento sobre esses indicadores, é capaz de haver mal-entendidos que afetem as finanças negativamente. 

A falta de conhecimento prático pode induzir a leituras equivocadas, criando a impressão de sucesso quando na verdade é preciso fazer mudanças estratégicas imediatas. 

Entender o conceito de rentabilidade e lucratividade é fundamental para tomar as melhores decisões para a empresa, e o melhor, essa avaliação pode ser realizada ainda no processo de pivotagem da operação, reduzindo os riscos. 

Além disso, acompanhar esses indicadores de maneira adequada, utilizando softwares e sistemas de gestão é essencial para não fazer confusão. 

A busca pelo constante equilíbrio entre lucro e investimento é um dos maiores desafios da logística empresarial, afinal, uma empresa que lucra mas nunca tem retorno, pode se assemelhar a um grande balde furado. 

Sendo assim, empresas que entendem sobre os reais impactos de uma lucratividade e rentabilidade estáveis, é capaz de:

➡️ Conheça a Imersão Executiva da ImLog e descubra as práticas, tendências e tecnologias da NOVA logística ⬅️

Como avaliar a lucratividade e rentabilidade

Dependendo do modelo de negócios, a lucratividade e a rentabilidade devem ser analisadas de maneira personalizada, levando em consideração as necessidades de cada empresa. No entanto, o objetivo é sempre o mesmo: avaliar a saúde financeira da companhia. 

Uma empresa que vende produtos sazonais, por exemplo, provavelmente estará mais atenta à relação entre custo e investimento do que negócios não sazonais. O alto investimento para aproveitar uma tendência de mercado pode ou não ser estável e para altos investimentos, o lucro precisa ser ainda mais atrativo e claro.

Outro caso comum é que muitos negócios não são rentáveis assim que começam a operar, mas com o tempo o retorno será positivo. É sempre um exercício prático que se preocupa em responder duas perguntas: a lucratividade desse investimento compensará em quanto tempo? É possível manter o negócio durante esse período?

Em resumo, se for possível diminuir os gastos é possível ser mais lucrativo e rentável, ou seja, o equilíbrio entre rentabilidade e lucro é um dos melhores caminhos para o sucesso a longo prazo.

Quais KPIs usar para mensurar a lucratividade e a rentabilidade de uma empresa?

Definir KPIs ou indicadores-chave de desempenho é fundamental para acompanhar a performance. Com eles, é possível medir o sucesso de uma ação ou do planejamento financeiro, criando melhorias que garantam o atingimento dos objetivos e metas. 

No caso da lucratividade e da rentabilidade, podemos utilizar o seguintes KPIs para acompanhar a estratégia: 

Ticket médio

O ticket médio indica o valor médio das vendas. Entender como otimizar o funil de vendas e aumentar esse valor sempre que possível é uma das melhores estratégias para melhorar a saúde financeira. Ter uma esteira de produtos eficiente é essencial para maximizar as vendas. 

Exemplo: uma loja de roupas online percebe que seu ticket médio está diminuindo nos últimos meses. Para aumentá-lo, eles implementam estratégias de cross-selling e upselling, oferecendo combinações de produtos ou sugerindo itens complementares durante o processo de compra. 

Churn rate

O churn é um indicador popular, principalmente porque diz respeito à taxa de cancelamento, também conhecida como taxa de cancelamento. Em linhas gerais, a churn rate mensura a rejeição dos clientes para algum produto, o que ajuda a fazer diagnósticos estratégicos, focando na efetividade das soluções ou se é preciso mudar de rota. 

Exemplo: uma plataforma de streaming de música observa um aumento significativo na taxa de cancelamento de assinaturas após uma atualização do aplicativo que resultou em problemas de usabilidade. Eles rapidamente revertem as mudanças e lançam uma campanha de marketing para reconquistar os clientes perdidos.

Geração de caixa

A geração de caixa ajuda a compreender o valor líquido gerado em um período. Caso dê negativo, a empresa já sabe que a performance financeira está abaixo do esperado, e que não está conseguindo equilibrar todos os custos. 

Exemplo: um negócio de manufatura calcula sua geração de caixa mensal e descobre que está tendo dificuldades para cobrir seus custos operacionais devido a despesas excessivas com matéria-prima. Eles revisam seus processos de compras, encontram novos fornecedores com preços mais competitivos e implementam medidas para reduzir o desperdício. 

Ponto de equilíbrio

O ponto de equilíbrio ajuda a mensurar o que tem disponível no caixa em determinado período e oferece uma visão clara da relação entre lucro e prejuízo. 

Exemplo: uma startup de tecnologia calcula seu ponto de equilíbrio e percebe que ainda não está gerando lucro suficiente para cobrir seus custos fixos. Eles decidem buscar financiamento adicional para sustentar suas operações até atingirem a escala necessária para alcançar o ponto de equilíbrio. 

Esses são apenas alguns indicadores e exemplos fictícios que podem ajudar a mensurar a lucratividade e a rentabilidade. 

Exemplo de rentabilidade e lucratividade

Muitos negócios são rentáveis, mas lutam para se tornarem lucrativos. É o caso da Uber e da Netflix, duas potências que demoraram anos para demonstrar algum lucro no balanço geral. 

A Uber, por exemplo, operou com prejuízo por muitos anos devido aos altos investimentos em expansão global, tecnologia e marketing. A empresa estava mais focada em conquistar participação de mercado e mudar paradigmas no setor de transporte do que em gerar lucro imediato. No entanto, com o tempo, a Uber começou a implementar medidas para reduzir suas perdas e buscar a lucratividade.

Da mesma forma, a Netflix também operou com prejuízo enquanto investia em conteúdo original e expansão global. A empresa optou por criar produções de alto nível para construir uma biblioteca de conteúdo exclusivo e atrair mais assinantes, o que custou muito dinheiro. 

Embora tenha demorado alguns anos, a estratégia da Netflix começou a dar frutos nos últimos anos, gerando um crescimento significativo de receita e lucro.

O equilíbrio entre rentabilidade e lucratividade não tem fórmula certa. Vai depender de uma série de fatores e decisões estratégicas que devem ser tomadas a partir de dados e visão de longo, médio e curto prazo.

Mesmo que nem todo resultado financeiro seja imediato, é importante entender se os mecanismos operacionais suportam ou não a espera pelo lucro ou rentabilidade, dependendo do cenário e do modelo de negócios. 

➡️ Conheça a Imersão Executiva da ImLog e descubra as práticas, tendências e tecnologias da NOVA logística ⬅️

  • Amanda Moura

    Amanda Moura é formada em Ciências Sociais e do Consumo pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e se dedica a estudar comportamento, consumo e tendências.

Newsletter ImLog

Cadastre-se e conheça a logística sob um novo olhar

Mais lidos

Assine a Newsletter da Imlog

Esteja sempre antenado sobre as últimas notícias do universo logístico!