Como a reoneração do diesel pode afetar o seu bolso e a economia do país

Entenda porque o governo pretende antecipar a reoneração do diesel e os impactos dessa medida para os consumidores e os setores produtivos.
Imagem de um caminhão sendo abastecido com diesel em um posto.
Imagem de um caminhão sendo abastecido com diesel em um posto.

Uma das medidas que o governo está estudando para bancar o programa de estímulo à venda de carros populares no Brasil é antecipar a reoneração do diesel. 

Isso significa que os impostos federais sobre esse combustível, que haviam sido suspensos até janeiro de 2024, voltariam a ser cobrados ainda este ano.

Mas qual é o problema dessa medida? E como ela pode afetar o seu bolso e a economia do país?

O que é a reoneração do diesel?

A reoneração do diesel é a volta da cobrança de PIS e Cofins sobre esse combustível, que havia sido zerada em 2021 como uma forma de aliviar a pressão sobre os preços e conter a greve dos caminhoneiros.

Segundo a proposta do governo, a reoneração do diesel seria feita em duas etapas: metade já em setembro deste ano, e a outra metade em janeiro de 2024. A medida faz parte de uma Medida Provisória (MP) que está pronta para ser votada no Congresso.

Por que o governo quer reonerar o diesel?

O governo quer reonerar o diesel para compensar a perda de receita com a redução de impostos para o setor automotivo. O objetivo é estimular a compra de carros populares, produzidos no país, com valor de até R$ 120 mil – entretanto, segundo o Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, esse programa poderá ser repaginado e focado em ônibus e caminhões.

Para isso, o governo pretende oferecer créditos tributários às montadoras, que poderão repassar esses benefícios aos consumidores na forma de descontos de R$ 2 a R$ 8 mil por veículo. A ideia é que essa política gere um aumento da demanda, da produção e do emprego no setor.

Quais são os possíveis impactos da reoneração do diesel?

A reoneração do diesel pode ter vários impactos, tanto para os consumidores quanto para os setores produtivos, tais como:

  • Aumento do preço do diesel: quem abastece veículos com diesel pode esperar um aumento no custo do combustível em cerca de R$ 0,11 por litro. Isso pode afetar principalmente os motoristas profissionais, como caminhoneiros, taxistas e motoristas de aplicativos.
  • Aumento da inflação: o diesel é um insumo essencial para toda a cadeia logística do país, pois é cerca de 77% destinado às cargas por transporte rodoviário. Com o aumento desse preço, os custos de transporte também sobem, o que pode se refletir nos preços dos produtos e serviços consumidos pela população. 

 

Gráfico sobre o consumo de diesel no Brasil.
Figura 1: Consumo de diesel no Brasil. Fonte: : EPE – Empresa de Pesquisa Energética (dados de 2021); Análises: ILOS.

  • Risco de greve dos caminhoneiros: um dos motivos que levaram à suspensão dos impostos sobre o diesel em 2021 foi a ameaça de greve dos caminhoneiros, que reclamavam dos altos custos do combustível e das condições de trabalho. Com a reoneração do diesel, esse risco pode voltar a se concretizar, causando transtornos para o abastecimento e a circulação de mercadorias no país.
  • Efeito ambiental: além dos impactos econômicos e sociais, a reoneração do diesel também pode ter um efeito ambiental negativo. Isso porque o diesel é um combustível fóssil, que emite gases poluentes na atmosfera e contribui para o aquecimento global. Ao mesmo tempo, o governo pretende atrelar a política de estímulo aos carros populares a um “pacote verde”, que visa à transição energética e à redução das emissões de carbono. No entanto, essa medida pode ser vista como contraditória ou insuficiente pelos ambientalistas.
 

De fato, essa é uma medida que pode trazer consequências para o seu bolso e para a economia brasileira. Por um lado, ela visa financiar um programa de estímulo à venda de automóveis, que pode beneficiar os consumidores e os trabalhadores do setor. Por outro, ela pode aumentar o preço do combustível, gerar inflação, provocar greve dos caminhoneiros e prejudicar o meio ambiente.

Por isso, é importante acompanhar as discussões sobre essa medida no Congresso e se informar sobre os seus possíveis desdobramentos.

Participe da próxima Imersão Executiva!

Hotel Grand Mercure, São Paulo – Vila Olímpia

Sábado (01/07) das 7:30h às 21:30*
Domingo (02/07) das 7:30h às 17h*

*horários sujeitos a mudanças

Últimas notícias

  • Amanda Moura

    Amanda Moura é formada em Ciências Sociais e do Consumo pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e se dedica a estudar comportamento, consumo e tendências.

Newsletter ImLog

Cadastre-se e conheça a logística sob um novo olhar

Mais lidos

Assine a Newsletter da Imlog

Esteja sempre antenado sobre as últimas notícias do universo logístico!