Fleury e Pardini: o fator logístico por trás da fusão

Entenda como a logística ocupou um lugar de destaque nas negociações, convertendo-se em uma alavanca de crescimento fundamental a médio e longo prazo. 
fachada de uma unidade do grupo fleury

Logística é tema central da união entre Fleury e Pardini, que passam a ter 487 unidades e 6,6 mil clientes, além de se tornar uma empresa com 39 marcas e R$ 6,1 bilhões em receita líquida, aproximando-se da líder de mercado, Dasa (DASA3), que contabiliza 9,62 bi em ações (números referentes a 03 de agosto de 2023).

Além de maior competitividade, a fusão entre os dois gigantes da medicina diagnóstica chama atenção por gerar ganhos logísticos significativos – principalmente para o Fleury.

Aproveitamento da estrutura logística

O aproveitamento da estrutura logística do Pardini foi um tema central durante o acordo, e compôs a sinergia entre a segunda e a terceira maior empresa do setor de medicina diagnóstica, calculada entre R$ 200 milhões e R$ 220 milhões de Ebitda incremental.

Para Patrick Rocha, founder da dLieve e cofundador da ImLog, a fusão entre Fleury e Pardini representa um momento único para o setor logístico, que vem ocupando um espaço cada vez mais estratégico dentro das companhias: 

“A logística mostra-se cada vez mais um pilar estratégico no mundo de negócios. A alguns anos atrás era impossível imaginar que  2 empresas de saúde colocariam a logística interna como a parte mais importante para atingirem seus objetivos e resultados. Altos executivos estão percebendo que logística não é custo, mas um fator de sucesso.”

Com uma forte atuação no segmento B2B, o Pardini atende 7 mil laboratórios, o que exigiu uma estrutura robusta, com variação de rotas e modais. Com a junção, o arranjo logístico construído ao longo dos anos passa a ser utilizado por todo o grupo. O principal modal é o rodoviário.

A nova logística envolve tecnologia, ecossistema e agilidade

Apesar da recente fusão, o Fleury já vinha se esforçando para superar gargalos logísticos. 

Além de realizar testes para transportar amostras por drones, atendendo regiões mais complexas em parceria com a Speedbird, tem associação com uma empresa aérea de carga comercial para transportar o material para os grandes centros, principalmente os de Vespasiano (MG) e de São Paulo.

Embora a frota seja terceirizada,  a gestão e roteirização da operação logística são feitas internamente, um conhecimento que a companhia considera estratégico  – e ela não está sozinha.

Em meio a tensões globais, economia instável, guerras e resquícios de uma pandemia mundial, além de redesenhar seus processos logísticos, empresas em todo mundo estão mudando suas prioridades e metas. A reinvenção tem como objetivo alcançar a resiliência. 

Embora reduzir custos seja essencial, focar em encontrar fornecedores para insumos críticos não é mais suficiente. A prioridade agora é ter uma visão completa do setor logístico, incluindo múltiplos fornecedores e acesso a demanda e ao estoque em todos os níveis e geografias. 

Assim como a fusão entre Fleury e Pardini teve como maior incentivo o fator logístico, a tendência é que cada vez mais empresas comecem a enxergar na logística uma grande alavanca de crescimento, capaz de torná-las mais competitivas e atraentes para o consumidor, cada vez mais interessado em agilidade e comodidade.

Com uma cadeia complexa, mais do que nunca, o futuro exige colaboração de ponta a ponta, visando maior eficiência, qualidade e alcance. 

Quer saber mais sobre a Nova Logística?  Participe da Imersão Executiva da ImLog e não perca a oportunidade de gerar novos negócios.

  • Amanda Moura

    Amanda Moura é formada em Ciências Sociais e do Consumo pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e se dedica a estudar comportamento, consumo e tendências.

Newsletter ImLog

Cadastre-se e conheça a logística sob um novo olhar

Mais lidos

Assine a Newsletter da Imlog

Esteja sempre antenado sobre as últimas notícias do universo logístico!