Você já cuidou do seu motorista hoje?

Quando pensamos no fluxo operacional de uma empresa, principalmente de um e-commerce, o que vem à nossa mente?

A entrega é feita por pessoas

É fácil para quem está no segmento da logística e do varejo, por exemplo, visualizar todos estes processos que englobam o ciclo de vida de um produto. Mas, seja sincero: você consegue ver aí, nesta ilustração, aquelas pessoas que são importantíssimas para manter a excelência da sua empresa nas entregas B2C – ali entre o fornecedor e o armazém – e B2B – na última etapa de uma venda, na entrega ao consumidor final?

De uma forma poética poderia dizer que os motoristas estão escondidos atrás do volante dos veículos de entrega, mas a verdade é que, na maioria das vezes, eles estão esquecidos: sem o treinamento adequado para prudência no trânsito, para o manuseio correto das embalagens, para a roupa correta a ser usada, para o relacionamento com as pessoas. Esquecidos sem um banheiro limpo e com água quente para tomar banho enquanto aguardam carregamentos e descarregamentos, sem um sofá para sentar e esticar as costas e sem se alimentar e dormir de forma correta.

Mas, por que eu devo cuidar do meu motorista?

É preciso, então, ressignificar a visão sobre estes profissionais, assim como vem acontecendo de maneira geral com a logística. 

Não é custo, é estratégia

Ao contrário de muitas perguntas no meio da logística, esta é muito simples de responder: ele é a cara da sua empresa na hora da entrega. Se o motorista for mal educado, gerar confusão ou não dar o suporte necessário, o transportador ou o varejista paga o pato. É preciso, então, ressignificar a visão sobre estes profissionais, assim como vem acontecendo de maneira geral com a logística. Nosso setor sempre foi visto como custo, não como algo com viés estratégico. O que aconteceu foi que nunca se deu atenção aos motoristas que, no final das contas, são quem estão em contato com o cliente — e aí de novo, pode ser B2B ou B2C.

Porém, e ainda bem, está cada vez mais em evidência que a minha empresa vai escolher outro fornecedor de camisetas depois que “aquele motorista foi desagradável com os funcionários do meu CD”.  Ou então que a decisão de uma compra entre dois e-commerces pode ter como critério desempate “aquele motorista simpático que sobe as escadas do meu prédio para trazer uma entrega”.

Reflita: oferecer uma estrutura de trabalho melhor e desenvolver os soft skills visando um bom relacionamento motorista/cliente não é um favor que você está fazendo para ele, mas para seu próprio negócio. É o motorista que vai te informar se o endereço preenchido no cadastro estava incorreto, e a entrega não foi feita; é ele quem conhece a região, o condomínio, o porteiro. Não é sua empresa que entrega seu produto, é seu motorista. Ele é o melhor algoritmo logístico e seu maior patrimônio.  

E é nessa hora que voltamos para a pergunta do título deste texto:  Você já cuidou do seu motorista hoje? 

Faça parte da próxima turma

Hotel Grand Mercure, São Paulo – Vila Olímpia
06 e 07 de maio – das 08 as 20h*

*horários sujeiros a mudanças

Últimas notícias

  • Patrick Rocha

    Fundador da dLieve, logtech adquirida pela VTEX. Fundou sua transportadora aos 24 anos, alem de ter atuado em indústrias e operadores logísticos. Engenheiro mecânico, com MBA pela FGV e Finanças no INSPER. Conselheiro de inovação da Associação Comercial de São Paulo. Investidor anjo, mentor e membro do conselho de startups.

Newsletter ImLog

Cadastre-se e conheça a logística sob um novo olhar

Mais lidos

Assine a Newsletter da Imlog

Esteja sempre antenado sobre as últimas notícias do universo logístico!