Dropshipping: o que é, como funciona e por onde começar

Vender sem ter um único produto no estoque? Entenda como funciona o modelo de dropshipping!
Dropshipping: o que é, como funciona e por onde começar

O dropshipping se popularizou justamente por sua praticidade. Essa estratégia funciona como uma espécie de vitrine online, em que todos os processos são realizados por um terceiro.

A MadeiraMadeira atende mais de 7 milhões de clientes e em 2021 virou unicórnio. Com um modelo híbrido entre e-commerce, marketplace e lojas físicas, possui mais de 2 milhões de produtos – uma trajetória e tanto, mas nem sempre foi assim.

Fundada em 2009, a MadeiraMadeira ganhou tração apenas em 2012, quando passou a operar em um modelo dropshipping, que inclusive, originou seu nome. 

No início, a startup utilizava o modelo de dropshipping para vender pisos de madeira e, posteriormente, aumentou o portfólio para materiais de construção. Em 2013, iniciou a venda de móveis e atualmente, o foco é o segmento de casa e decoração. 

Embora opere através de um processo logístico próprio, a estratégia de dropshipping foi essencial para que escalasse, se tornando a maior loja online especializada em produtos para casa do Brasil.

Para Leandro Bassoi, mentor da ImLog e COO da MadeiraMadeira, a empresa continuará trilhando um caminho de sucesso, impactando todo o mercado. 

“Quero continuar construindo o maior e melhor case de sucesso no setor de móveis aqui no Brasil e também construir um case de sucesso no mundo da logística, fazendo com que a empresa seja um local de destino não só para nossos consumidores, mas também para lojistas e fornecedores, ou seja, que enxerguem que o melhor canal para destinar seus produtos é através da logística da MadeiraMadeira. Esses são meus planos do presente e do futuro.”

Leandro Bassoi, mentor da ImLog e COO da MadeiraMadeira

Nesse artigo, explicamos o que é e como você pode colocar essa estratégia em prática!

Dropshipping: o que é e como funciona? 

A internet ajudou a impulsionar uma série de estratégias e soluções, uma delas foi o dropshipping. Popular no varejo, o dropshipping é um modelo de negócio em que o vendedor atua como um intermediário entre o fornecedor e o cliente.

Nesse caso, o vendedor expõe produtos dos fornecedores online e caso a compra ocorra, a logística e os custos com a entrega, por exemplo, são de responsabilidade do fornecedor, por isso, não é necessário ter um estoque. 

Quando o cliente efetua o pedido, o vendedor ganha uma comissão da venda e avisa o fornecedor, que envia o produto para o consumidor final. 

O tamanho do mercado global de dropshipping foi avaliado em US$ 225,99 bilhões em 2022 e deve registrar uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 23,4% de 2023 a 2030, ou seja, as compras online tendem a continuar sendo uma grande oportunidade de negócio.

Se interessou? A seguir, explicamos como esse modelo de negócios funciona!

O processo por trás dessa estratégia

A seguir, entenda como o dropshipping funciona na prática:

Atualização da lista de produtos

No dropshipping, o vendedor trabalha com listas de produtos dos fornecedores, muitas delas automatizadas. Além de acesso ao estoque disponível, assim que uma compra é feita, o item é removido da lista automaticamente, tornando o processo muito mais prático.

Algumas vezes, é preciso fazer isso manualmente, mas grande parte dos sistemas são automáticos – capazes até de atualizar a própria loja virtual do vendedor. O importante é ter acesso a esses dados em tempo real.

Processo de atração e conversão

Os pedidos são feitos pelo e-commerce e o processo de atração é de responsabilidade do administrador da loja virtual. É fundamental investir tempo e energia na hora da prospecção, justamente porque impacta diretamente na conversão.

Envio das ordens de compra

Assim que a compra é feita, o fornecedor é notificado automaticamente, e passa a ter acesso aos dados pessoais e de envio do comprador. Quanto mais ágil é esse envio, melhor!

Uma vez que essas informações já estão com os fornecedores, a entrega é feita por eles. Normalmente, todo o suporte – incluindo atendimento e outros serviços do pós-venda também são de responsabilidade do fornecedor. 

Diferença entre dropshipping, e-commerce e marketplace

Enquanto o dropshipping não necessita de estoque e o fornecedor não aparece para o cliente final, o e-commerce necessita de um estoque próprio. Além disso, é de responsabilidade do e-commerce estruturar processos logísticos da entrega. Em resumo, a operação é bem similar a uma loja física.

O marketplace, por sua vez, reúne diversos fornecedores diferentes e o empreendedor opera como um intermediador dos negócios, já que é responsável pela plataforma. 

Nesse caso, também não é preciso lidar com estoque ou logística, no entanto, é preciso focar em atrair fornecedores e clientes, similar ao dropshipping – em contrapartida, o marketplace tende a gerar mais rentabilidade e segurança.

Vantagens e desvantagens do dropshipping

Listamos a seguir, alguns dos principais benefícios de empreender através dessa modalidade:

  • Você pode começar com pouco investimento e imediatamente
  • Nenhuma participação no pós-venda
  • Nenhuma preocupação com a logística da entrega dos produtos
  • Exige pouca infraestrutura

Em contrapartida, algumas desvantagens são:

  • Alta concorrência, o que gera menos rentabilidade
  • Muita atenção com a lista de produtos disponíveis
  • Dificuldade de rastreamento das mercadorias
  • Variações de custos de envio por parte dos fornecedores, resultando em custos de entrega diferentes
  • Devolução complexa 

Como implementar o dropshipping? 

Se você está pensando em empreender nesse modelo, separamos algumas dicas que podem ajudá-lo na implementação: 

  1. Escolha um nicho: começar delimitando o público-alvo pode ser ideal para começar. Lembre-se, quem vende para todo mundo, não vende para ninguém, além de concorrer diretamente com players consolidados, como Mercado Livre e Magalu.
  2. Escolha bons fornecedores: um bom fornecedor é a base dessa estratégia. Buscar por recomendações, analisar tempo e prazo de entrega, assim qualidade e embalagens das mercadorias, é vital.
  3. Fique atento ao pós-venda: mesmo que o pós-venda não seja sua responsabilidade, verificar as entregas e a satisfação dos clientes pode aumentar a retenção, além de fortalecer seu posicionamento de marca.

Assim como qualquer outro modelo, o dropshipping apresenta vantagens e desvantagens, e cabe ao empreendedor entender o que busca agora e o que deseja construir no futuro. 

A MadeiraMadeira é um excelente exemplo para ilustrar que as estratégias são vivas, e não devem ser tratadas como permanentes, caso contrário, seu negócio jamais poderá acompanhar as mudanças do mercado, do consumidor e da tecnologia. 

Conheça a Imersão Executiva da ImLog e não perca a oportunidade de ampliar seus conhecimentos e sanar dúvidas diretamente com experts do setor!

  • Amanda Moura

    Amanda Moura é formada em Ciências Sociais e do Consumo pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e se dedica a estudar comportamento, consumo e tendências.

Newsletter ImLog

Cadastre-se e conheça a logística sob um novo olhar

Mais lidos

Assine a Newsletter da Imlog

Esteja sempre antenado sobre as últimas notícias do universo logístico!